História do Brasão
Basílica de Nossa Senhora do Carmo


Descrição do Brasão

Escudo samnítico, sendo o campo de sépia carregado de uma estrela de seis pontas de argente, com mantel de argente carregado de duas estrelas de sépia, uma à esquerda e outra à direita, estando o monte de sépia assente num rio de argente, posto em ponta; bordadura de goles carregada de seis vieiras de jalde. O escudo se assenta sobre duas chaves decussadas, a primeira de jalde e a segunda de argente, atadas por cordel de goles, tendo por timbre a Tiara Papal com suas três coroas. Listel de argente com o lema: "AD MONTEM QVI CHRISTVS EST" em letras de sépia.


Interpretação

O campo de sépia representa o Monte Carmelo, cujo nome hebraico Carmel significa Jardim, e sua cor sépia lembra o hábito da Ordem Carmelita. A estrela de argente representa Nossa Senhora do Carmo e as estrelas de sépia representam São João da Cruz e Santa Teresa de Ávila. O mantel de argente representa o manto de Nossa Senhora, padroeira da Basílica e da cidade, e sendo de argente simboliza inocência, castidade e pureza. O rio ondado de argente, posto em ponta, representa o Rio Mandu às margens do qual desenvolveu-se a povoação, sendo de argente tem o significado deste metal, descrito acima. A Bordadura de goles, carregada de seis vieiras de jalde homenageia o fundador Francisco Vieira Fagundes e ainda a esta peça honrosa, pelo seu nome - bordadura - nos recorda o nome do lugar, Borda da Mata. A bordadura, por seu esmalte, goles, simboliza o fogo da Caridade, inflamado pelo Divino Espírito Santo, valor e intrepidez. O metal das vieiras, jalde, simboliza: nobreza, generosidade, autoridade, premência, descortínio e constância. O lema de listel, tirado da Oração de Coleta da Missa de Nossa Senhora do Carmo, nos lembra que, através de Maria, chagamos ao Cristo, nosso Salvador.


Criação

Dr. Marcos Choces - Itatiba (SP)

Brasão da Basilica Borda da Mata

Publicidade